sábado, 24 de maio de 2008

Vaias e aplausos!

Quando é que nós imaginaríamos um momento igual a esse e que se tomasse uma atitude assim?! Não consigo me imaginar neste lugar, mas se estivesse ficaria completamente atônito por causa das vaias. O povo evangélico vaiando!!!? Havia batista naquele lugar, misturado com eles?! Será que além de misturarem-se com eles nesta manifestação política ainda se misturaram na bagunça? Caso não tenham se misturado, mesmo que não tenham vaiado, são contados como tais. "Diga-me com quem andas e te direi quem és." Adorarão dois juntos se não estiverem de acordo?!
Alguém irá comentar, por certo que se trata de uma manifestação política. Mas não seria uma marcha para Jesus?! Ah, é para Jesus mas também serve para mostrar o poder! E convidaram a Marta Suplicy para falar (talvez para atrair mais gente) ela, que está acostumada a apoiar a marcha gay!!!
Tem alguém completamente perdido por aí! E tem gente permitindo-se manipular com historinhas de marchinhas...
Mas e as vaias?!
Elas são resultado do que temos visto nas próprias igrejas.
As crianças estão acostumadas com as palmas quando acontecem programações na igreja, especialmente quando estão atuando, e desta forma, sendo assim ensinadas e incentivadas, passarão a reagir assim. São tão lindas e mesmo quando não fazem bem o papel que deveriam fazer, são tão graciosas... que não dá para deixar de aplaudir!!! E os pais, avós, tios, enfim, quase todos ficamos entusiasmados só pela presença delas lá na frente, não é mesmo? Elas representam a nossa necessidade de auto afirmação(aplauso), pois são nossos, quase nós mesmos!
Então, elas acostumam-se, e crescem, e quando tornam-se menos crianças e mais adultas continuam sendo movidas pela mesma motivação. Onde estão agora as palmas?! Discorde delas, ou não as elogie pra ver só o que acontece...Como conseqüência estamos com as igrejas cheias de adultos acriançados, movidos pelas palmas e elogios, e ai daquele que não aplaudir. Erram na motivação e ensinam errado, e coitados dos Batistas! Começam disfarçadamente dizendo que as palmas são para Jesus! Êta tática mais diabólica!
"Toda ação leva a uma reação". Acostumados a aplaudir quando se sentem satisfeitas, acham, e têm certa razão, e que podem também vaiar! E vaiam!
Ainda bem que por enquanto vaiam nas marchas, mas temo que em breve estarão vaiando dentro das reuniões nas igrejas. Já pensaram na reação da igreja vaiando o pregador caso não goste do que ele pregou?!!!
Até isso acontecer haverá os ensaios de algumas vaias para os cantores, coregrafias, declamadores (ainda existem? Foram substituídos pela coreografia!), professores de EBD, músicos, etc...Começam com aplausos, aprendem e depois percebem que têm o direito de vaiar se não gostarem! Alguém aqui também percebe que está acontecendo assim?
Tudo isso é conseqüência da mistura com os outros povos (denominacional) que têm outros costumes diferentes daqueles que nós temos e que nós deveríamos manter nos momentos de Louvor e Adoração e que deveria ser a nossa identidade. E também é a forma de expressão carnal que todos nós temos quando gostamos ou não de alguma coisa. É emocionante vermos e percebermos coisas boas e que são preparadas para nós. Uma peça teatral, um filme, um show de música, palestras, uma boa e emocionante prática esportiva...Mas na hora da adoração, Deus é a "PLATÉIA"!!! Toda a honra...vocês bem sabem!
Ainda há algumas vozes clamando no deserto mas muitos estão descambando do caminho estreito para o largo caminho do emocionalismo, o de agradar as pessoas e do culto ao "eu", sendo que o resultado todos sabemos qual será!
Deus tenha misericórdia e muitíssima!
Henri.

2 comentários:

Pr. Wagner disse...

Diácono Henri

Eu havia lido esse texto na lista IBD) e aplaudido muito. Confesso que gostei imensamente, e vi no senhor um escritor de mãos cheias, muito analista e inteligente. Eu concordo com tudo que o senhor escreveu aqui e lhe sugiro continuar a escrever.

Outrossim, fiquei lisonjeado ao saber que iniciou o seu blog ao ler o desafio que fiz num de meus artigos veiculados nas listas. Pois é, irmão Henri, se até eu escrevo, todos podem escrever. E bem, como o irmão.

Mais uma vez, parabéns!

Wagner Antonio de Araújo

Henri disse...

É para mim um incentivo e tanto ler seu comentário. Bondoso, eu sei e carinhoso também. O carinho e a bondade são bem vindos. A crítica também será muito bem aceita e apreciada para que noutra oportunidade, aquele que incentiva, sinta-se melhor recompensado.
Obrigado, pastor Wagner!
Henri.