sábado, 7 de maio de 2011

Perdão sem pedradas (revisão).

João 8

1 Jesus, porém, foi para o Monte das Oliveiras.
2 E pela manhã cedo tornou para o templo, e todo o povo vinha ter com ele, e, assentando-se, os ensinava.
3 E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério;
4 E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando.
5 E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?
6 Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra.
7 E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.
8 E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.
9 Quando ouviram isto, redargüidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus e a mulher que estava no meio.
10 E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?
11 E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.
12 Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.


Quero aproveitar e parar neste texto. Os seus doze versos são mais do que preciso para o que pretendo escrever. Mas vamos caminhando devagar por cada um deles.


Perdão é o assunto.


Você sabe o que significa perdão?! Perdoar?! Perdoado?!

Aquela mulher experimentou o mais alto teor de perdão.

Os seus acusadores conheciam e bem a Lei, o Pentateuco.

Hoje há muitos que conhecem e bem a bíblia. Mas será que isso significa o mesmo que conhecer o perdão?! Será que por conhecer a bíblia experimentaram o perdão?! Vivem a felicidade de terem experimentado o perdão?


Quando pensei em escrever tinha em mente a atitude de Jesus ao escrever na areia, no chão, abaixado o que escreveu.

Fiquei intrigado e sei que jamais terei certeza do que Jesus escreveu.

Farei uso da imaginação porque é assim que faço quando estou lendo a bíblia.

Uso a imaginação para passar um filme enquanto leio.

Já li diversas vezes este texto mas me surpreendi desta última ao imaginar Jesus escrevendo, abaixado, de forma que os acusadores não podiam ler o que Ele escrevia. Até que, diante da insistência deles, Ele se levanta para lhes dar atenção e lhes responder sobre o que deveria ser feito daquela mulher adúltera. Imaginei a reação deles com os traços de espanto e vergonha nas faces quando puderam ler no chão o que estava escrito. Ler sobre os seus pecados e vê-los revelados em parte diante de toda aquela multidão que os cercava, todos levados por eles mesmos, naquela grande confusão.

Qual não foi a reação deles, quando ao levantar-se, Jesus deixou à mostra o que estava escrevendo para que todos, inclusive aqueles que eles levaram, pudessem ler?!

Eles estavam com as pedras que tinham nas mãos, prontas para impingir a morte e fazer cumprir o que estava escrito na Bíblia.

Aquelas pedras, foram sendo deixadas, largadas, soltas, depois que Jesus lhes disse que aquele que não tivesse pecado atirasse a primeira pedra...

Faltou-lhes a coragem diante da terrível verdade exposta a todos ali.

Diante da Lei eles se arvoravam em querer a punição ao pecador, mas diante da verdade, sendo revelado o pecado de todos, lhes faltou a altivez e sobrou a vergonha.

Agora, Jesus se inclina novamente e volta a escrever. Mas na minha imaginação Ele já não está mais atrapalhando a visão daquilo que estava sendo escrito.

Jesus continua escrevendo.

E cada um, o mais rápido que pode, sai em retirada estratégica, antes que seja revelada toda a trágica situação pecaminosa em que viviam, levando consigo o máximo possível de pessoas, esvaziando da cena a platéia daqueles que poderiam ler o que Jesus continuava escrever!

A mulher parece que não leu nada. E nem poderia, mediante seu desespero ante seus algozes.

Eu não li. Mas fiquei ainda imaginando o que Jesus escreveria sobre mim se eu estivesse ali também...

E sobre você? O que é que Jesus escreveria?

Então, agora posso terminar isto que estou escrevendo.

Será que me apresento diante de Jesus com pedras nas mãos a acusar os outros dos seus pecados?

Será que insisto com Deus, apontando-lhe os erros dos outros diante do que está escrito na Bíblia?

Até onde irei e o que farei com estas pedras bíblicas?!

Soltá-las-ei ou insistirei em mirar nos outros para atingi-los com toda a minha força?

Faço essa pergunta a mim e que cada um olhe para si.

Oh, Senhor Deus, permita-me ouvir muito alto o que Tu mesmo me dizes: “Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.” Tão alto que nunca esteja com o "pedrão" nas mãos mas com o perdão no meu coração, trazendo alívio a mim e aos que precisam sentir a alegria do Teu Perdão. Que tenhamos a verdadeira alegria do Teu perdão, de ser perdoado e que, por causa disso, também estejamos pré-dispostos com alegria a perdoar!

Que eu tenha condições de doar a minha perda, qualquer que seja, em amor a Ti, oh Deus! Confiado em Ti e submisso ao Teu querer me prostro ao Teu dispor. Em nome de Jesus Cristo, Amém!


Deus nos abençoe e muito!

Dc. Henri - membro da Comunhão Batista Clássica.

Um comentário:

Iane disse...

olá bom dia gostaria de saber se vc jà leu o ivro de a w tozer o conhecimento do santo,acho que vc escreveu sobre isso em algum lugar e se vc sabe como faço para adquiri-lo